segunda-feira, 28 de março de 2016

Superlula e as pinceladas de lulismo na história

No link abaixo há a notícia de que "lula é herói da economia em livros indicados pelo MEC". Para comentar algo tão desprezível me ocorre apenas transcrever George Orwell: "[...] E se todos aceitassem a mentira imposta pelo Partido - se todos os registros contassem a mesma história -, a mentira tornava-se história e virava verdade. Quem controla o passado controla o futuro; quem controla o presente controla o passado, rezava o lema do Partido" (Orwell in 1984, pág. 47).
Insisto para que entendam que o pethê não é apenas um partido corrupto - ainda que o seja -, trata-se do articulador de um projeto torpe de poder que usa a Democracia somente com o intento de destruí-la. (Dáuvanny Costa)

Link: lula é herói da economia em livros indicados pelo MEC



quinta-feira, 24 de março de 2016

E no plenário?

Abaixo trecho da decisão de Teori Zavascki na Reclamação proposta pela AGU (Advocacia Geral da União). Aludida Reclamação diz respeito à divulgação dos diálogos entre "wanda" e LILS (luiz inácio). A AGU representa "wanda" - não LILS - e baseou o pedido na alegação de que os diálogos teriam sido interceptados no exercício do mandato da governanta; assim, a interceptação e a divulgação deveriam ter sido autorizadas pelo STF - e não pelo juízo de primeiro grau. Até aí tudo bem - ou quase bem. 
A questão central é que pouco importa para a AGU se os diálogos comprovam conspirações e ardis para garantir a liberdade de um criminoso contumaz; assim como pouco importa para o ministro Zavascki se a Reclamação da AGU está repleta de fontes suspeitas, tais como "Pragmatismo Político" e "Vermelho", sites sabidamente de esquerda - a propósito, AGU, faltou a "Revista Fórum", "Carta Capetal Capital", "Brasil 247" etc [...]. De qualquer forma, o STF não concedeu foro privilegiado a LILS e [ainda] não retirou a competência da Força-tarefa de Curitiba e do juiz Sérgio Moro, MAS esfriou um pouco as coisas para o pethê e deu ao LILS um tempo para respirar até a volta do recesso. E agora STF?
(Dáuvanny Costa)

Rumo à ruína

I) Claro que o Brasil está dividido – é fato. De um lado estão os que apóiam o pethê enquanto ele afronta as instituições e agoniza em praça pública. Do outro, os que possuem vergonha na cara!

II) Luiz Inácio culpar a Força-tarefa do Ministério Público Federal e o juiz Sérgio Moro pela crise brasileira é como se atribuir culpa à Polícia pela lotação do sistema carcerário. Escancaradamente vergonhoso.

III) A corregedora do CNJ (Conselho Nacional de Justiça), ministra Nancy Andrighi, negou dois pedidos liminares contra o juiz Sérgio Moro. Um queria seu afastamento da função e o outro, a proibição das divulgações de delações e escutas feitas pela operação Lava Jato. O CNJ ainda julgará seis pedidos para apurar possíveis faltas disciplinares do juiz Moro, mas, por enquanto, é isso: CNJ golpista, Justiça Federal golpista, OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) golpista, MP (Ministério Público) golpista, PF (Polícia Federal) golpista, MPF (Ministério Público Federal) golpista, AJUFE (Associação dos Juízes Federais) golpista, Imprensa golpista etc. Apenas o pethê e seus asseclas são democratas [...].
(Dáuvanny Costa)