segunda-feira, 18 de abril de 2016

Deputados que votaram CONTRA o Impeachment

Segue abaixo nomes dos deputados que votaram contra a abertura do processo de Impeachment de Dilma "Wanda" Rousseff - ou que se abstiveram ou simplesmente faltaram à sessão. Seus nomes não devem ser esquecidos e suas carreiras políticas devem ser encerradas - algumas nem deveriam ter sido iniciadas. 

RORAIMA: 
1) Edio Lopes/PR. 

RIO GRANDE DO SUL: 
1) Afonso Motta/PDT; 
2) Bohn Gass/PT; 
3) Henrique Fontana/PT; 
4) Marco Maia/PT; 
5) Marcon/PT; 
6) Maria Do Rosário/PT; 
 7) Paulo Pimenta/PT; 
8) Pepe Vargas/PT; 
9) Abstenção: Pompeo De Mattos/PDT. 

SANTA CATARINA: 
1) Décio Lima/PT; 
2) Pedro Uczai/PT. 

AMAPÁ: 
1) Janete Capiberibe/PSB; 
2) Jozi Araújo/PTN; 
3) Professora Marcivania/PCdoB; 
4) Roberto Góes/PDT; 
5) Abstenção: Vinicius Gurgel/PR. 

PARÁ: 
1) Beto Faro/PT; 
2) Edmilson Rodrigues/Psol; 
3) Elcione Barbalho/PMDB; 
4) Lúcio Vale/PR; 
5) Simone Morgado/PMDB; 
6) Zé Geraldo/PT; 
7) Abstenção: Beto Salame/PP. 

PARANÁ: 
1) Aliel Machado/Rede; 
2) Assis Do Couto/PDT; 
3) Enio Verri/PT; 
4) Zeca Dirceu/PT. 

MATO GROSSO DO SUL: 
1) Dagoberto/PDT; 
2) Vander Loubet/PT; 
3) Zeca Do PT/PT. 

GOIÁS: 
1) Rubens Otoni/PT. 

DISTRITO FEDERAL: 
1) Erika Kokay/PT. 

ACRE: 
1) Angelim/PT; 
2) César Messias/PSB; 
3) Leo De Brito/PT; 
4) Sibá Machado/PT. 

TOCANTINS: 
1) Irajá Abreu/PSD; 
2) Vicentinho Júnior/PR. 

MATO GROSSO: 
1) Ságuas Moraes/PT; 
2) Valtenir Pereira/PMDB. 

SÃO PAULO: 
1) Ana Perugini/PT; 
2) Andres Sanchez/PT; 
3) Arlindo Chinaglia/PT; 
4) Carlos Zarattini/PT; 
5) Ivan Valente/Psol; 
6) José Mentor/PT; 
7) Luiza Erundina/Psol; 
8) Nilto Tatto/PT; 
9) Orlando Silva/PCdoB; 
10) Paulo Teixeira/PT; 
11) Valmir Prascidelli/PT; 
12) Vicente Candido/PT; 
13) Vicentinho/PT. 

MARANHÃO: 
1) Aluisio Mendes/PTN; 
2) João Marcelo Souza/PMDB; 
3) Junior Marreca/PEN; 
4) Pedro Fernandes/PTB; 
5) Rubens Pereira Júnior/PcdoB; 
6) Waldir Maranhão/PP; 
7) Weverton Rocha/PDT; 
8) Zé Carlos/PT. 

CEARÁ: 
1) Ariosto Holanda/PDT; 
2) Arnon Bezerra/PTB; 
3) Chico Lopes/PcdoB; 
4) Domingos Neto/PSD; 
5) José Airton Cirilo/PT; 
6) José Guimarães/PT; 
7) Leônidas Cristino/PDT; 
8) Luizianne Lins/PT; 
9) Macedo/PP; 
10) Odorico Monteiro/Pros; 
11) Vicente Arruda/PDT; 
12) Ausente: Aníbal Gomes/PMDB; 
13) Abstenção: Gorete Pereira/PR. 

RIO DE JANEIRO: 
1) Alessandro Molon/Rede; 
2) Benedita Da Silva/PT; 
3) Celso Pansera/PMDB; 
4) Chico Alencar/Psol; 
5) Chico D'angelo/PT; 
6) Glauber Braga/Psol; 
7) Jandira Feghali/PcdoB; 
8) Jean Wyllys/Psol; 
9) Leonardo Picciani/PMDB; 
10) Luiz Sérgio/PT; 
11) Wadih Damous/PT; 
12) Ausente: Clarissa Garotinho/PR. 

ESPÍRITO SANTO: 
1) Givaldo Vieira/PT; 
2) Helder Salomão/PT. 

PIAUÍ: 
1) Assis Carvalho/PT; 
2) Capitao Fabio Abreu/PTB; 
3) Marcelo Castro/PMDB; 
4) Paes Landim/PTB; 
5) Rejane Dias/PT. 

RIO GRANDE DO NORTE: 
1) Zenaide Maia/PR. 

MINAS GERAIS: 
1) Adelmo Carneiro Leão/PT; 
2) Aelton Freitas/PR; 
3) Brunny/PR; 
4) Gabriel Guimarães/PT; 
5) George Hilton/Pros; 
6) Jô Moraes/PCdoB; 
7) Leonardo Monteiro/PT; 
8) Margarida Salomão/PT; 
9) Miguel Corrêa/PT; 
10) Padre João/PT; 
11) Patrus Ananias/PT; 
12) Reginaldo Lopes/PT. 

BAHIA: 
1) Afonso Florence/PT; 
2) Alice Portugal/PcdoB; 
3) Antonio Brito/PSD;
4) Bacelar/PTN; 
5) Bebeto/PSB; 
6) Caetano/PT; 
7) Daniel Almeida/PcdoB; 
8) Davidson Magalhães/PcdoB; 
9) Félix Mendonça Júnior/PDT; 
10) Fernando Torres/PSD; 
11) João Carlos Bacelar/PR; 
12) Jorge Solla/PT; 
13) José Carlos Araújo/PR; 
14) José Nunes/PSD; 
15) José Rocha/PR; 
16) Moema Gramacho/PT; 
17) Paulo Magalhães/PSD; 
18) Roberto Britto/PP; 
19) Ronaldo Carletto/PP; 
20) Sérgio Brito/PSD; 
21) Valmir Assunção/PT; 
22) Waldenor Pereira/PT; 
23) Abstenção: Cacá Leão/PP; 
24) Abstenção: Mário Negromonte Jr/PP. 

PARAÍBA: 
1) Damião Feliciano/PDT; 
2) Luiz Couto/PT; 
3) Wellington Roberto/PR. 

PERNAMBUCO: 
1) Adalberto Cavalcanti/PTB; 
2) Luciana Santos/PcdoB; 
3) Ricardo Teobaldo/PTN; 
4) Silvio Costa/PTdoB; 
5) Wolney Queiroz/PDT; 
6) Zeca Cavalcanti/PTB; 
7) Abstenção: Sebastião Oliveira/PR. 

SERGIPE: 
1) Fábio Mitidieri/PSD; 
2) João Daniel/PT. 

ALAGOAS: 
1) Givaldo Carimbão/PHS; 
2) Paulão/PT; 
3) Ronaldo Lessa/PDT. 

(Dáuvanny Costa)

sábado, 16 de abril de 2016

Demoniocracia

O momento atual é tão estarrecedor e absurdo que fica difícil decidir o que é pior:
I) ver criminosos esperneando porque foram pegos enquanto se sentiam donos do país;
II) ver petistas - sejam lá em que partido estejam - desesperados agonizando e lançando os seus últimos - e poderosos - dados;
III) constatar as imoralidades dos bastidores da política brasileira em que se negociam almas com dinheiro arrancado dos pagadores de impostos;
IV) assistir ao advento de tantas pessoas e microorganismos tóxicos saídos dos buracos da indignidade a fim de defender seus próprios interesses;
V) ser testemunha de que a imprensa reluta em soltar as amarras do patrocínio estatal e atua timidamente na defesa da verdade;
VI) presenciar políticos posando de santarrões e proferindo discursos inflamados contra a corrupção que ajudam diariamente a fomentar;
VII) comprovar a existência de marionetes manipuladas por atores políticos que deixaram o palco sem deixar o espetáculo;
VIII) encontrar um Maluf indignado com o fisiologismo que sempre imperou na política nacional. 
O último que sair, não esqueça de apagar a luz porque o desconto das companhias elétricas não significou muita coisa. (Dáuvanny Costa)

quinta-feira, 7 de abril de 2016

Feirão

A República transformada no mais ativo balcão de negócios do governo. À luz do dia. Sem constrangimentos e sem censuras; ante o olhar complacente da imprensa - e lascivo dos futuros beneficiados. É a POLÍTICA brasileira em seu estado mais puro.
(Dáuvanny Costa)

Estado de Sítio

"Dois de Abril: O Cb Reginaldo Taiacoli, 46 anos de idade e 27 de PM, foi executado na frente do filho adolescente enquanto calibrava o pneu do carro na Zona Sul de SP. 
Quatro de Abril: Os Sds Alex de Souza, 28 anos, e Leonel Almeida de Carvalho, 29, foram alvejados quando faziam cerco a uma quadrilha que acabara de roubar empresa de transporte de valores em Santos, SP. 
Cenas de guerra. Criminosos portando armas de guerra e munição ilimitada; afrontando leis, cidadãos, Polícia e Estado. Facínoras que não pensam duas vezes antes de puxar o gatilho porque a lei não lhes pesa ou constrange. 
Contudo, não houve comoção pública. A mídia televisiva não dispensou mais que alguns minutos em notas. A dor de quem se importou - e se importa - foi silenciosa, contida e paciente; uma dor que não explodiu em lamentações - porque não quer ser consolada. 
Vida que segue - dirão alguns; esquecendo-se de que qualquer atentado contra agentes da segurança pública é um atentado contra o Estado; é uma ameaça à segurança de qualquer cidadão decente. Criminosos não temem nossas leis ultrapassadas e lenientes que servem mais para protegê-los do que para detê-los. Assim, o posto de combustíveis poderia ter sido aquele em que abastecemos nossos veículos; a troca de tiros poderia ter ocorrido em frente às nossas casas. Poderia ter sido, mas não foi. Não desta vez. Porque desta vez alguns homens honrados estavam no caminho - e não voltaram para casa." (Dáuvanny Costa)