sábado, 25 de fevereiro de 2006

Desassossegada

Sempre me perguntam se tenho blog/flog/site/e-outras-dessas-coisas. Não tinha. Não via necessidade. Minhas idéias e desassossegos pertencem a mim - não é possível compartilhar. Minha visão certamente é diferente da sua - mas me rendi a esses diários modernos que expõem nossos pensamentos como se estivéssemos caminhando na rua. Rendi-me hoje. Postarei sem regras. Quando o desassossego for tamanho que sinta vontade inevitável de expô-lo (a mim).
Ademais, tenho muito o que falar (escrever, que seja), quiçá ajudar a resgatar a Igreja e a melhorar o país. Não, eu não sou nenhuma 'enviada especial', mas não posso e não quero mais assistir a esses espetáculos de terror e degradação moral a que estamos quase habituados. Não quero cruzar os braços e fingir que nada acontece. Sim, estou inquieta, uma inquietude que quer agir, que quer mudar conceitos e transformar vidas. Uma inquietude que quer SALGAR. E assim como meu escritor russo preferido, digo: 'há no povo uma dor silenciosa e paciente, que se recolhe e se cala. Mas há outra que explode...' E minha dor quer explodir. Não aceito mais essa venalidade, essas aberrações, esse estado acrítico da igreja. Não aceito mais esses escândalos e torpeza política. Não importa ser crucificada, o que não desejo é ser pisada como sal inútil.
Assim nasce esse blog. Alcançará o que deseja? Não sou presunçosa ao cúmulo de achar que um pensamento meu pode mudar algo, mesmo porque somente Deus trans-forma; eu posso sonhar. E sonho.
A Ele.
(Dáuvanny Costa)

Um comentário:

Lou disse...

Aleluia! Ei-la então. Que alegria máxima. Se transformará? Claro que sim. Como Neemias ensinou, cada um reconstruindo sua parte. Bem vinda.