quarta-feira, 3 de maio de 2006

Obrigada, senhores parlamentares!

Obrigada, senhores parlamentares, obrigada!
Obrigada por nos mostrar a diferença entre viver e sonhar; e hoje vivemos e já não sonhamos.
Obrigada por 500 anos nos emudecendo, nos amordaçando e atando nossas mãos, que hoje, atrofiadas, já não lutam. Vocês nos ensinaram passividade.
Obrigada pelo (in)Digesto exercício da cidadania, em que comparecemos obrigados. Muitos obrigados!
Obrigada pelo AI 5; e agora, pelo AR 15; já nos sentimos encapuzados, seqüestrados, presos e vítimas dessa democracia; isso nos ensina mansidão.
Obrigada por permitirem que os melhores, entre nós, sejam, de nós, furtados, isso nos livra do egoísmo (e da dignidade).
Obrigada pela enfermidade da saúde pública, assim sabemos que não somos os únicos a padecer sem remédio.

Obrigada, senhores parlamentares, obrigada!
Obrigada pela banalização da violência, que nos leva a nos culparmos, e não a vós. Isso nos ensina a humildade.
Obrigada pelos direitos humanos, que não são para os humanos direitos, e isso dizima nossa moral, nos ensinando que ser honesto, nesta terra, nada vale.
Obrigada pelo grande amor que têm aos animais, pois nos tornam cães ou asnos, nos fazendo quase esquecer que um homem sem direito não é indivíduo.
Obrigada pelos salários que nos pagam; e sempre acabam antes de o mês ter terminado. Nos ensina a economia.
Obrigada por se preocuparem tanto com nossas crianças, a tal ponto de não puni-las quando agem mal.
Obrigada por tirarem os melhores anos de nossas vidas, nos furtando do saber; e terem feito de nós corpos sem alma. Isso nos ensina a não vivermos.

Obrigada, senhores parlamentares, obrigada!
Obrigada pela fome numa terra tão rica, nos ensinando que as aparências, realmente, enganam.
Obrigada pelo “impeachment”, em que fomos os heróis, os ‘caras pintadas’... nos ensinou a ilusão do poder.
Obrigada por nossa ansiedade e agonia enquanto nossos amores não voltam para o lar; e enquanto andamos de um lado para o outro assustados, isso nos ensina a esperar.
Obrigada pela liberdade nos programas de televisão, onde cada um diz o que quer, e nossos ouvidos viram penicos. Nos ensina a tolerância.
Obrigada pela mentira bem contada de que somos os donos do poder. Obrigada por essa injeção de (pseudo) ânimo no nosso povo.
Obrigada por divertir este mesmo povo, nos dando festas e feriados (que se acabam) e voltamos à vida normal, com mais dívidas e dores de cabeça.

Obrigada, senhores parlamentares, obrigada!
Obrigada por esse sentimento de indignação que nos invade, nos transformando quase nos animais que querem que sejamos. Ah! Isso sim nos torna gente!
Obrigada pelas pizzas que arrotamos (mas não comemos) a cada CPI armada; a cada novo escândalo; mas por favor, manda de calabresa com suco da próxima vez, pois estamos cheios de frango e de coca. Ah! E menos cebola, não queremos mais chorar.
Obrigada pelo assassínio da nossa língua, quando nos dizem que ‘a nível de’ Brasil, a inflação é ‘imexível’. Nos lembra que estamos envelhecendo.
Obrigada por roubarem nossos moços, nossos filhos, nossos cônjuges, nossos pais, nossos irmãos, nossos amigos. Obrigada por nos roubarem o direito à fé!

Obrigada, senhores parlamentares, obrigada!
Obrigada pelos vultosos aumentos de vossos salários; faz-nos sentir patrões generosos.
E... obrigada, finalmente, por nos fazerem perder tempo escrevendo sobre vós. Isso nos dá um sentimento de valor. De importância e de urgência.

O que é importante?
Vida, comida, casa, segurança, emprego, educação, saúde. E três coisas que nem todos vós conheceis: moral, dignidade e cidadania.

O que é urgente?
Que Vossas Excelências (em maiúsculo, pelo respeito) cumpram seus papéis de mandatários, nos ouvindo.
E, por favor, desculpem-nos por este cansaço e desolação.
(Dáuvanny Costa)

6 comentários:

Lou disse...

Dau
Obrigado por levantar a voz por todos nós, isso nos faz fortes.
Obrigado por tua sensibilidade, isso nos dá esperança.
Obrigado, muito obrigado.

Suélen Lopes disse...

Adorei o texto!!
Todos poderiam pensar desta maneira, principalmente os "senhores parlamentares". Se é que não pensam, claro, o que é o mais triste. Já estamos cansados de vermos toda esta injustiça debaixo de nossos narizes e nada podermos fazer. Afinal, os "senhores parlamentares" SEMPRE conseguem se livrar de suas inúmeras culpas sem pagar nada a justiça, enquanto muitos inocentes passam anos na cadeia pagando por um crime que não cometeram. Infelizmente este é o nosso país... este é o nosso Brasil.

Anônimo disse...

Nossa !!!!!! Amiga ... tudo que estava entalado na minha garganta (sei que não sou a única) você transmitiu em seu texto ...
Maravilhoso !!!!!!
Gostaria que fosse publicado nos jornais de todo o país para que todos pudessem ter acesso ...
Obrigada, muito obrigada !!!!!!!
Neide.

Anônimo disse...

dau, sou eu, gracias
não consegui me inscrver na forma ususal, e entrei de penetra
show
este teu texto, amo!!!
parabéns

Anônimo disse...

Dáu, doce Dáu,
Assino todos os coments acima. Obrigado. Obrigado por você aqui.
Carlos.

Anônimo disse...

CARACAS!!!
OBRIGADO, MUITO OBRIGADO POR VOCE EXISTIR, ANJA DOS JUSTOS.
BJS. PARABÉNS!
TEN. GIL VIANNA