sábado, 13 de maio de 2006

Que a dor de hoje perdure

Estou indignada. A rua de minha casa está bloqueada. Os ataques à Polícia não param de acontecer.
Estou indignada.
Estou indignada por 30 valentes tombarem como mártires; por sentir a dor de suas famílias, por chorar com eles, por desmoronar.
Minha indignação, entretanto, NÃO ESTÁ atrelada a esse fato - de hoje; está atrelada à falta de moral de homens corruptos e desavergonhados que roubam cotidianamente nossas esperanças e nossas certezas.
Todos os dias um bravo tomba no cumprimento de seu dever - e isso, por si só, já deveria nos indignar e nos diminuir. Entendo e compartilho a indignação que acometeu a população hoje; mas deveria ser indignação de TODOS OS DIAS, de todas as perdas, de todas as injustiças. Deveria ser, pois toda pequena dor é a representação da dor do mundo.
Não estou em segurança se meu semelhante está inseguro. Não estou feliz se meu semelhante está infeliz. Não estou forte se meu semelhante está fraco. Não sou justa se ainda há injustiça. Não sou boa se ainda há maldade.
Para a Imprensa e o Governo são somente números. Todavia, não para nós. Não para quem está 'do lado de cá'; quem sente as dores de feridas abertas, porque, de fato, lágrima não cicatriza.
Minha indignação é tristeza mascarada, é dor e impotência diante de situações tão lamentáveis. A tristeza me domina, tristeza de todos os choros, de todas as lágrimas, de todas as perdas.
Tristeza porque amanhã se contabilizam números e as famílias nunca mais se encontram, nunca mais serão as mesmas; e, doravante, tantas vezes se calarão sem forças, deixando as lágrimas rolarem.
Tristeza porque quase não vejo diferença entre os bandidos que disparam armas e os bandidos que criam leis lenientes.
Que a dor de hoje perdure cada vez que a vida de um cidadão decente seja ceifada (e isso acontece todos os dias). Que a dor de hoje não termine amanhã.
Cobremos soluções, dignidade e respeito.
Ora me calo porque também preciso deixar rolar as lágrimas. De ontem. De amanhã. De sempre.
(Dáuvanny Costa)

Versão Italiana - publicada no Site Italiano "O ponto": Sono Indignata

6 comentários:

Suélen Lopes disse...

Acho que TODOS nós estamos indgnados com TUDO o que está acontecendo nos últimos dias!!

Concordo plenamente com vc quando diz que as pessoas deveriam se indgnar não somente agora que as coisas acontecem... mas TODOS os dias!!!

Só não concordei em um ponto(e desculpe por dizer isso)...

Mas como parte da imprensa posso dizer que para nós não são apenas números todas essas mortes...

Quantas vezes nós desmascaramos governates corruptos e mostramos estar contra o governo deste país e a favor da justiça e da sociedade?

TODOS estamos indgnados... e o nosso dever como imprensa, e como parte da sociedade, é lutar para que essas injustiças sejam desmascaradas e, no mínimo, esterminadas!!

Utopia? Talvez, mas precisamos sonhar e acreditar nessa possibilidade!!

Abraços,

Te adoro, viu?! rs

Suélen Lopes disse...

Opa! Exterminadas!! Como não vi esse erro?? Escrever rápido dá nisso! rs

Gostei muito do vídeo que me mandou em homenagem aos policiais de São Paulo!!

Por que temos a mania de homenagear somente quando alguém morre? Neste caso, quando milhares de homens inocentes morreram.

Mas valeu a intenção!! Ainda bem que existem as homenagens!

Enviarei o e-mail para outras pessoas tb, assim a homenagem percorrerá o mundo!

Abraços,
Suélen

Suélen Lopes disse...

Nossa... está TUDO errado... indIgnada!!!!!!!

Prometo escrever com mais tempo da próxima vez!! rs

Desculpe.... rs

Lou disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Lou disse...

Acho que peguei o vírus da Suélen. Sory.

Agora vai.

Além da indignação, incomoda muito a desconfiança dessas vidas estarem sendo sacrificadas por motivos fúteis como os interesses eleitoreiros. Também incomoda a licença dada para matar "os suspeitos" (uma centena, segundo números oficiais). Assim, além dos que tombaram, suas famílias, viúvas e orfãos que o estado já disse não estar disposto a indenizar, temos dezenas de policiais atingidos pela culpa, pela dor na consciência, pelo medo de terem se afastado de Deus e da vida eterna por terem matado. Com grande possibilidade de haver inocentes, entre os suspeitos. Uma outra consequência, atrás da consequência. Até daria um post. Desculpe. Acima, de tudo, você deixou claríssimo, o quanto é sensível.

Anônimo disse...

Notável...
que palavras existem para descrevê-la?
Eu digo a voce, sempre digo a voce, mas hoje quis vir aqui tb e deixar aqui tb.
Gilberto