segunda-feira, 1 de janeiro de 2007

Se eu fosse Deus

Se eu fosse Deus... um dia apenas...
faria sorrir as crianças, sem afazeres ou preocupações,
as ocuparia com brincadeiras de sua idade.
Se eu fosse Deus...
alimentaria todos os famintos,
consolaria os tristes
e devolveria, a quem ama, os amores que partiram.
Não permitiria que uma mãe enterrasse seu filho,
não conceberia amanhãs não vividos a jovens viúvos,
eliminaria todas as guerras
e não deixaria que usassem meu nome em vão.
Por apenas um dia...
Proclamaria a tão sonhada paz,
incendearia os presídios - lotados -
e haveria um anjo em cada casa.
Por apenas um dia...
a África seria alegre e a alma dos brancos seria negra.
Por apenas um dia...
as lágrimas de dor seriam proibidas
e os pássaros cantariam o dia inteiro.
Se eu fosse Deus...
Interferiria na Terra, castigando e premiando
consoante meu senso de justiça.
Mulheres não seriam violentadas, apenas amadas.
Crianças não seriam espancadas e abandonadas.
Mães não seriam jamais humilhadas.
Se eu fosse Deus...
os homens de boa vontade: médicos, advogados,
professores, policiais, bombeiros, agricultores,
seriam respeitados e honrados.
Ocorre-me, porém, que jamais poderia sê-lO,
porque não daria minha vida
para salvar homens maus.
Eu advogo, mas não me envolvo;
Aconselho, mas não me entrego;
Ajudo, mas não renuncio.
Sonhos desvairados!
Alma blasfema!
A dor cega-me.
Acaso não sei que "certo príncipe" sondou sentar-se no trono de Deus?!
Julgo-me justa - mais que Ele! - mas não morreria - como Ele fez -
por uma humanidade corrompida.
Alma blasfema!
"Senhor! Ajuda-me em minha incredulidade!"
Permita-me não parar de crer.
(Dáuvanny Costa)

2 comentários:

Suélen Lopes disse...

Lindo o poema!

Espero que você não deixe de crer no Deus que, como disse, foi o único que morreu para salvar a humanidade. E, ainda assim, muitos desacreditam Nele.

É verdade que, grande parte das vezes, o mundo parece não ter solução. As injustiças machucam a alma de quem sonha com a paz.

Sentimos a grandeza de Deus ao perceber que nossos desejos, mesmo os mais solidários, nunca chegarão perto da misericórdia Dele, que continua querendo a salvação de todos nós.

A esperança renasce quando lemos poemas como o seu, com sede de bondade e justiça.

Eu quero continuar crendo, pois só assim posso desejar um mundo melhor e mais justo para todos.

Beijos com carinho.

Rubinho Osório disse...

Amém!!! Texto tocante e chocante!
Primeira visita, via Lou. Gostei. E muito!