quinta-feira, 21 de agosto de 2008

A oração de um justo

Em comentário a texto recente do Lou, relatei-lhe que 'também' não encontrei a chave para o coração de Deus. Minhas orações não abrem as portas dos céus despejando chuvas torrenciais de bênçãos. Deus se conserva silente.

O Lou se incumbiu de perguntar a um determinado amigo anjo como andam meus pedidos lá no céu. Oxalá encontre algum. Estão cada vez mais raros de minha parte.
Ou talvez Deus os esteja tratando como spams. Deletando-os sem abrir.
Com efeito, orações não servem mesmo para alterar a vontade de Deus. Servem para alterar a nossa. E a nós.
(Dáuvanny Costa)

Um comentário:

Lou Mello disse...

Sem falar na burocracia celestial. Dizem que depois da promoção de alguns brasileiros a anjos, a coisa piorou muito. Parecem que eram ex- funcionários de cartórios de justiça. :)