quinta-feira, 4 de setembro de 2008

Eis-me...

"...Porque eu sei que em mim, isto é, na minha carne, não habita bem algum: e com efeito o querer está em mim, mas não consigo realizar o bem.
Porque não faço o bem que quero, mas o mal que não quero esse faço".
(Romanos 7.18-19)

3 comentários:

Filipe Liepkan disse...

um argumento desafiador. maior desafio é quando observamos paulo como a representação máxima da humanidade, em todas as suas competências, falhas e decadências.

o que aprendo com paulo é reconhecer minha humanidade, para depois bater um papo com o Mestre =]

abçs

Anônimo disse...

e porque será que todos somos assim?.. Todos...
(Carlos)

Dra. costa disse...

Admitir (a nós mesmos) as obtusidades de nossa carne e de nosso caráter é o começo; ainda que o caminho a ser percorrido seja longo. Caminho esse que implica em negação de nós mesmos. Confesso: Eu não sei fazê-lo. Ainda.