quinta-feira, 19 de maio de 2011

Minhas formas de orar

Domingo estive em minha livraria preferida e devo confessar espanto ao ver os corredores quase intransitáveis.
Em um misto de alegria – por observar o interesse de outros pela leitura – e egoísta tristeza – por invadirem meu espaço –, pus-me a imaginar o que cada um estaria procurando, quais seções seriam as mais visitadas, o que esperava cada um, que histórias deixavam e quais levariam.
Lamentei um pouco mais ao enxergar a lista dos mais vendidos, sorri com um certo cinismo, admito. Todavia, alegrei-me ao pensar que em época de e-books e tablets os meus velhos amigos desajeitados recebam tantas visitas.
Sentei-me para apreciar o cappuccino (sem chocolate), que custa mais do que muitos livros, e me senti grata por estar ali.
Estar lá também é oração.
(Dáuvanny Costa)

5 comentários:

Marcus Bittencourt disse...

Legal! Descreveu bem o prazer de um momento e compartilhas-te um pouco conosco, leitores deste maravilhoso relato.
Deus está presente em todo tempo, muitos só conseguem percebê-lo em um acontecimento extra-ordinário ou sobrenatural, mas ele revela-se nas coisas simples, e só amantes de coisas simples o percebem.

Vilma disse...

Também sou ainda muito clássica, quanto a livros. Nada me dá tanto prazer, como o desfolhar das páginas e o cheio do papel.
E é uma grande verdade: também é oração! :))

Beijinhos

DR disse...

Boa tarde (hora de Portugal). Visto ver que gostas tanto de literatura, gostava de saber se posso usar esta forma de te fazer chegas algumas coisas interessantes ou se preferes que envie directamente para outro e-mail. (Podes usar o meu dr68.blog@gmail.com)

Beijinho

DR

Dáuvanny disse...

Meu amigo Marcus,
Deus É.
Abraço e obrigada.

Dáuvanny disse...

Vilma, somos ambas. Oremos juntas ;). Abraço e obrigada pela visita.