domingo, 8 de outubro de 2006

Um lapso

Os dias alongam-se...
Por vezes acho que já vivi demais; trago os olhos fatigados de tanto procurar e sou uma das jovens mais velhas de minha época.
Nada há mais sobre a Terra que me deixe empolgada. Não uso, todavia, nesse instante, a palavra 'empolgada' como sinônimo de 'entusiasmada', pois ainda trago Deus dentro de mim. E 'entusiasmo', em grego, significa exatamente isso.
Há horas em que o sofrimento é quase um amigo, porque é o único que não me deixa, me perseguindo intimamente, como pessoa ou sombra alguma jamais atreveu-se.
Abandono-me.
Em certas ocasiões faço referência ao livro de Jó, me identificando com ele. Declaro, cabisbaixa: "sou Jó"... sempre arranco sorrisos, às vezes risadas, e, como boa observadora que sou, teço considerações: De fato as pessoas são cruéis e se divertem com o sofrimento alheio. Em que canto de suas almas elas escondem a compaixão? Em que momento de suas existências inventaram que sorrir é mais proveitoso que chorar? Falo (escrevo) da igreja, mas não falo só dela. Insisto em falar da igreja porque todo homem deve amar, mas aquele que professa uma fé tem obrigação de amar. O que há de engraçado na vida de Jó?!
Não transbordo religião, por vezes sou cética - mas os desavisados jamais compreenderão isso. Creio com toda a minha incapacidade de crer. Alguns jamais compreenderão isso. Para entender os sentimentos de outrem é necessário mais que ver, é necessário sentir; por vezes é necessário andar um bom tempo sobre suas sandálias, como diz um provérbio antigo.
Vivo uma vida que não é minha. Finjo demais. Sorrio demais. Aconselho demais. E ainda espero a primavera. Viver não é isso, minha gente. Viver é outra coisa.
Já escrevi alhures que esse blog não é autobiográfico (basta passear pelos textos), sentimentos aqui são meus, outros eu empresto, mas isso os desavisados também não compreenderão. Não faz mal algum, empresto de Fernando Pessoa: Ser compreendido é prostituir-se.
(Dáuvanny Costa)

Um comentário:

Carlos Pierangeli disse...

Reflexivo, embora triste... queria ter palavras para dizer agora... mas adoro voce é o suficiente.