terça-feira, 29 de setembro de 2009

À moda antiga

Sim, ainda escrevo cartas e as envio - quase sempre. Ainda envio postais quando em viagem. Dessas coisas que não existem mais. Em épocas de twitter (troço que não sei para que serve, aliás), escrever cartas é como brincar de pirocóptero, escrever com caneta quatro cores, ter um vídeo-K7 e conjugar verbos. Coisas fora de moda.
Nada contra as invenções que tornam a vida mais fácil. Adoro-as. Nem sei o que faria sem elas; mas por Deus! O que há de errado com escrever cartas, responder a e-mails, retornar telefonemas, pedir licença para passar, segurar a porta, dizer "por favor", agradecer por pequenas gentilezas e conjugar verbos corretamente? O que há de errado com não perder a educação só porque "evoluímos"? O que há de errado, afinal, em se importar com alguém a ponto de escrever-lhe cartas ou de jantar gostosamente à luz de velas?!
Em visita à Rachel após um longo inverno, a ouvi reclamar de minha ausência. Estava ofendida por não lhe ter escrito no aniversário. "Como?!" - exclamei - "Escrevi. Como o fiz também no dia das mães!" Ela, ainda ofendida, apenas retorquiu: "Não, você não escreveu..."
Ela tinha razão. Pessoalidade faz toda a diferença.
...Sou eu que acostumo mal os meus amigos. Paciência. Ainda escrevo cartas.
(Dáuvanny Costa)

5 comentários:

Por Ele. disse...

Eu escrevo e-mails! rs

rick_biblia_rj disse...

olá amada.

Dra. Costa disse...

Rick,
Honrada pela visita, agradeço-a.
Amplexo.

Ajuda Jurídica disse...

A gentileza está sendo esquecida, agora o mais comum é a impessoalidade, emails para lista inteira, scrpas rapidos nos orkuts da vida... tb devo ser espécime raro quando vou ao correio "selar" cartas...rs...
Ótimo post.

Dra. Costa disse...

POR ELE, escrever e-mails também é uma virtude. Excelente hábito, conquanto eu não os receba!
Abraço.