segunda-feira, 28 de setembro de 2009

Pastores de quem?

A função do pastor era é  guiar, conduzir, aconselhar, ajudar a discernir, esclarecer as ovelhas de seu aprisco. O que vemos, entretanto, são pastores que pastoreiam a si mesmos e a seus próprios interesses. Destarte, sou grata a Deus por não permitir que pastores me saqueassem a fé. Ainda.
Pululam embustes por todos os lados. Mercadores da fé vendem orações milagrosas, pulseiras santas, água benta, bíblias da prosperidade, óleos ungidos, dentre tantos outros artifícios, cujo intuito é a mercancia da esperança.
Impostores que despedaçam a alegria das boas-novas com excessos religiosos infecundos, com fantasia em lugar de virtudes, com promessas falaciosas de vida plena sem a plenitude da Vida. Impostores que vilipendiam o sacrifício expiatório de Cristo e enganam gente humilde que precisa ver para crer, que busca composição física para o exercício de sua fé, que não descobriu ainda que a única promessa é a da Vida Eterna.
Fiéis dispostos a crer para não conviverem com as agruras da vida; fiéis para quem não basta o sacrifício vicário do Cordeiro; fiéis que flertam com a infidelidade cobiçando bezerros de ouro enquanto voltam seus olhos para homens sem ética que se valem da superficialidade dos seus discursos.
Pastores de quem? Pastores de quê? Homens que não representam bem o Evangelho, homens e mulheres que tornam a fé árida; fé que, em suas intenções espúrias, se torna apenas objeto de troca, meio para aquisição de sonhos de infância que não puderam se realizar sem que se usasse o nome de Deus em vão.
Reinventam Deus, reescrevem a Bíblia com histórias mágicas de auto-ajuda e auto-sugestão. Repintam Jesus em roupas de grife e carros luxuosos; e o carpinteiro, o pregador, o pescador de almas se torna um executivo preocupado com o sucesso e a megalomania de seus filhos.
O que há de errado com a igreja? Que caminhos tortos a desvirtuam? O que há de errado comigo que me calo enquanto observo impotente?
Observo mais. O evangelho virou zombaria. E os incomodados, zombam ainda mais. Quem não se cala, faz pilhéria; no afã de criticar, zombam; sem a percepção de que isso faz aumentar o número de seguidores dos infiéis. Mentiras em nome da fé. Chistes idem.
Onde encontro a saída?
(Dáuvanny Costa)

3 comentários:

Ednelson Giani disse...

Eu acredito desacreditando que não haja saida, sinto um total desanimo a sair de minha residencia para ouvir pastores e suas mensagens de auto ajuda em nome de Deus ou suas tecnicas de 7 passos para o sucesso é de amargar falta aos evangelicos ler meus desassossegos, bacia das almas, o balido, Ricardo Gondim, Ariovaldo Ramos, Ed Rene Kivitz, Jung Mo Sung, Genizah ai talvez não se deixariam levar por qualquer coisa, bem em todo caso já mke daria por satisfeito se as pessoas lessem a Biblia...

Dra. Costa disse...

Olá, querido, agradeço lisonjeada pela menção ao lado de pessoas tão notáveis. Você tem razão, a leitura e compreensão da Bíblia, suficiente por si mesma, evitaria tantos absurdos. Obrigada pela visita.

Por Ele. disse...

Poucos pastores e poucas ovelhas, acredita?

Pois é...

Quem sabe se dissecar as regras e os rituais, teremos enfim uma mistura perfeita de pessoas que se relacionam e não se preocupem com nada mais do que somente o próximo?! Os 5 ministérios surgiriam como as crianças que não sabem explicar o que é se relacionar, mas se relacionam.